Retorne ao SPIN

terça-feira, 19 de abril de 2016

Fascistas removeram links do spin sobre poderes cotidianos, no face

Fascismo presente

Segue abaixo relação de links removidos após delação depreciação fascista
Entendo..,.., ..quem não relata, delata. 
Relatar é dizer com profundidade a verdade, o que não é o caso do spin delator depreciador.


segunda-feira, 18 de abril de 2016

Do "mensalão" ao "petrolão", o mesmo modus operandi de um sistema midiático-penal seletivo


Comecemos com essa indagação de Luis Nassif no GGN:

A Lava Jato tem lado



Há um grande mérito na Lava Jato e uma grande interrogação.
O mérito foi o de ter, pela primeira vez, investigado uma das fontes centrais históricas do poder político brasileiro: as grandes empreiteiras de obras públicas.
A dúvida é o filtro político que impôs às investigações.
Para tentar entender:
1. A Lava Jato pretendia manter sob suas asas todos os inquéritos resultantes das delações negociadas até agora.
2. Há personagens centrais na Lava Jato: do lado dos beneficiários, gerentes e diretores da Petrobras e operadores do PT e do PMDB. Do lado dos pagadores, as empreiteiras.
3. A Lava Jato derivou para o setor elétrico, apurando os desvios da Eletronuclear. 
4. Ora, o que Petrobras e Eletrobras têm em comum, para permitir à Lava Jato avançar sobre o setor elétrico? As mesmas empreiteiras.
O ponto em comum que unifica tudo são as empreiteiras, seu modo de operar, seus subornos e financiamentos de campanha.
Sendo assim, qual a razão da Lava Jato ter deixado de fora governos tucanos?
A maior contribuição da UTC foi para a campanha de Aécio Neves. A grande obra da UTC em Minas foi o Centro Administrativo.
Em São Paulo, as mesmas empreiteiras participaram de obras do Rodoanel e das parcerias para administrar as estradas paulistas.
E nenhum dos bravos delegados e procuradores, o imbatível juiz Sergio Moro tiveram a curiosidade de indagar sobre o financiamento à campanha de Aécio e para políticos paulistas?
Tem lógica? Não tem. Não há embasamento técnico ou jurídico que possa justificar a desatenção do grupo em relação aos malfeitos dos réus com governos tucanos.
Na fase das investigações, especialmente ao colher os depoimentos dos réus e delatores, todos os temas relacionados às suspeitas de suborno por parte das empreiteiras são relevantes. Se surgirem indícios de cometimento de crimes em outras esferas, encaminha-se a denúncia para o STF (Supremo Tribunal Federal) (se for de réu com prerrogativa de foro) que decidirá se cabe um novo inquérito ou se a investigação será no bojo do mesmo.
Se a intenção é passar o país a limpo, qual a razão, tendo ao seu dispor pessoas dispostas a delatar, a Lava Jato não abriu seu leque para todos os partidos? A desculpa de não perder o foco não bate.
Por tudo isso, pelo fato do Procurador Geral da República Rodrigo Janot ter poupado Aécio Neves das  denúncias do doleiro Alberto Yousseff sobre Furnas, de jamais ter tirado da gaveta o inquérito sobre a conta no paraíso fiscal de Liechtenstein, pelo fato de procuradores e delegados jamais terem se preocupado com a questão óbvia de investigar outros partidos políticos, não há a menor dúvida de que a Lava Jato tem lado. O mesmo lado de Gilmar Mendes.
Os bravos procuradores sequer se preocupam em justificar essa seletividade, como se o assunto não existisse.
Mas há um cadáver no meio da sala de jantar. E não haverá como escondê-lo para sempre.

Boa pergunta essa do Nassif e, dai podemos fazer outra pergunta: pq o "mensalão" teve um lado, sendo que, se um José Genoino q não onde cair morto foi preso, os tucanos que se enriqueceram com seus mensalões estão de boa..o processo do mensalão tucano dorme em algum escaninho do judiciário esperando a prescrição das penas,...,o Azeredo está por ai, todo serelepe, como se nada tivesse acontecido: como não é petista, não precisa perder o sono.

Como ..,,pq os  tucanos são poupados como se fossem inimputáveis ao mesmo tempo  em que, para deleite das massas,  petistas viraram bodes expiatórios e são açoitados durante as 24 horas do dia em praça pública, ou seja, nessa ágora contemporânea chamada mídia ou sistema midiático-penal que compõe a superestrutura nos dias atuais mas que a lógica é a mesma do tempo do cativeiro: à Casa Grande é permitido roubar, roubar e roubar e o povo nunca se indignou com isso e até acha bonito.

O que acontece na Lava Jato é apenas mais um exemplo do que sempre aconteceu nesse país. Isso acontece pq o sistema midiático-penal faz parte da superestrutura que, como sabemos, faz a cabeça das massas(http://jornalggn.com.br/blog/spin-ggnauta/estrutura-e-superestrutura-nos-dias-atuais)

Da compra dos votos por FHC para sua reeleição ao trensalão tucano e tantos outros casos de corrupção tucanos, a ordem implícita é a mesma de sempre: não mexam com tucanos!!!



Prossigamos:

À CPI da Petrobrás o delator Ricardo Pessoa informou que a maioria de seus contratos foram firmados na Era FHC, e olha lá que naquela época a Petrobrás como tudo o que era estatal "nada valia" (mote adotado para privatizar a Vale). Como os tucanos lidavam com a imprensa? Fosse vivo, Paulo Francis se atreveria a criticar os tucanos? Com certeza, não...

/


E se fizéssemos diferente e todos nós, povo brasileiro, nos uníssemos em torno de três questões básicas:

1- A divida pública que nos escraviza há décadas
2- A democratização da mídia
3- A reforma o Judiciário e do sistema penal, o poder mais corrupto dentre os corruptos

Juntando poder financeiro da banca, mídia e aparato midiático-judicial, é o que temos constituído nisso que chamamos de poder dominante ou verdadeiro poder corrupto: é disso que se trata, é este o nosso inimigo comum a ser enfrentado e submetido.